sexta-feira, novembro 18, 2011

sexta-feira, outubro 21, 2011

Música

Insossa
inexplicável
inventiva 
e incurável

Exclusiva
expressiva
vezes extropiada
vezes emudecida

Matemática
melódica
melancólica
e materna como a terra

quarta-feira, outubro 19, 2011

Coração

coração amargurado
emoldurado
calejado e armadurado
coração amado

coração mal tratado
vadio vagabundo
sem lugar no mundo
coração de luto

coração partido
seguro e preso
vazio, impreciso
coração em risco

"ama primeiro o que carrega no peito, olhe em volta e com
cuidado ama tudo que olha. mas ama. e saiba reconhecer o próximo."

quinta-feira, outubro 06, 2011

Oração

Meu coração agora pede um pouco de calma
meu olhos agora olham mais distante
minha alma agora reluz em minha mente
o caminho certo entre o corpo e o ente

segunda-feira, agosto 15, 2011

Quando Eles Chegarem

se um dia Eles vierem
não vão nos render por armas
doença ou guerra
chegarão tão belos, puros e admiráveis
que nos renderemos à sua espécie

por admiração nos entregaremos a suas ordens
escravizados por seus olhos claros
e seus rostos simétricos.

se um dia Eles chegarem
nos dominarão por sua bondade e intelecto
e nos entregaremos como gatos cachorros
e outros animais domésticos.

terça-feira, agosto 09, 2011

A Fenda (El Surco)

Dentro de uma fenda aberta vi germinar
Um astro de infinita solidão
E com uma cesta lhe vi regar
Com água de um corrego de obscuridão

Ah, meu deus, a semeadura listou-se a perder
E a agua do corrego foi-se a correr
Ao astro lhe gosta a liberdade
E a agua do corrego a claridade
Não floreceu o astro, foi-se a clarear

Em uma hora triste quis-se cantar
E dentro de meu canto quis-se gritar
E dentro de meu grito quis-se chorar
Pois assim canto para calar

Ah, meu deus, a hora em que fui a cantar
Ah, meu deus, a hora em que fui a gritar
Se gritando se chora para calar
E meu jarro sedento não chega ao mar
Ah, meu deus, a hora em que fui a cantar
Ah, meu deus, a hora em que fui a gritar

E assim foi-se o astro a sua liberdade
E assim  foi-se o corrego a sua claridade
Mas não chega a hora de me libertar

esse poema é uma livre tradução da música 'El Surco' do grupo Chabuca Granda

sexta-feira, julho 01, 2011

A Noite²

Aqui se fez a vez
soltar as frustrações
desajustar o injusto
sentir-se satisfeito.

Aqui, fez-se
Neuroses psicoses
expostas certezas
Inamor, as vezes

Aqui
onde tudo...
se desfez

sábado, junho 18, 2011

A Noite

Em dado momento depois de algumas cervejas, o jovem resolve se levantar e ir ao microfone. A festa estava boa, havia luz de velas dentro de sacos de papel de pão iluminando um ambiente amistoso por onde se via claramente que habitava o amor, as pessoas em sua realeza se faziam suas naturezas, permeando assim por beleza entre olhares e gestos corteses o ambiente posto de magia e sutileza. Diante deste quadro que lhe colava a vida através de suas retinas, disse o jovem rapaz


Queria dizer que sou poeta
Embora nunca tenha recitado
uma poesia minha

E também dizer que sou músico
amador
amador pois tento

E se tento foi
Porque por aqui
conheci o amor

Terminando então suas palavras, sentou-se novamente ao seu lugar e manteve-se em silêncio, tocando seu pandeiro e cantando algumas músicas, quando lhe achava valer essa dura pena. Com bom humor, como devia: sem se importar ou impor.

domingo, maio 29, 2011

Luciana.

De repente me bateu saudades dos tempos idos
De tempos confusos
Adolescente indeciso

Todo aquele conflito
Todos maus entendidos
Superados mas vividos

Nem tudo na vida tem um desfecho bonito
mas tudo na vida é lindo
como olhar para o mar revolto
ou mesmo calmo e tranquilo

Me dera o mundo um destino
o faço como simples devo
encontro ao infinito

já não carrego mágoas e nem tão pouco o oposto disso
apenas as vezes vem de encontro
boas memórias do que vivi
que estavam esquecidas

sexta-feira, maio 27, 2011

Amor.

A muito falo sobre o amor e cansei
agora quero falar sobre fatos
ou sobre atos

Apenas retratos
que marco
sem telha nem beira
o quanto queira
o acaso

agora me valho do velho
me vem ao caso
e como temo
me pergunto o que tenho
se em agouro me reparo

Douro o ouro
afim de que juventude não me falte
não há pobreza maior do que a falta de liberdade
não há velhice maior do que a falta de preparo

Vida velhice, idade avançada.
não há o que falte não há
fartura representada por saber
e ver a realidade.

Os Que Voam

Alados são os que voam
seja palavra
verso frase
pássaro ou pessoa

Alados são os que vivem
fora das grades
os que não tem números
os que não tem marcas

Alados são os que amam
e o fazem a vontade
não pensam
agem sem medo nem raiva

Alados sao alados
sobem descem entram e saem
soberanos
no mundo de seus próprios atos.

quinta-feira, maio 05, 2011

Futuro do Pretérito

Te amaria
Se você soubesse esperar um pouco mais
Se um amor passado não vos assombrasse
Se minha fosse su'alma

E se deixasse Te amaria
Ao acaso, como quem não quer nada
Se acaso me permitisse ama-la
Mas há muitos causos nessa estrada

São tantos os casos ao acaso
Que se perde no vácuo
O fio e a meada que nos uniu ao passado.
Assim de repente sem mais nem menos

Como quem não quer nada

domingo, abril 17, 2011

Voz

As vezes resisto
por saber que insisto
no caminho que me fixa

me vale a prova do registro
em troca de algo omisso
no caminho que me fixo

me vale mais o que improviso
com cuidado e abrigo
no momento certo e previsto
desfaz-se o previsível

arraigado rodízio
fugaz e repentino
me retira fatigado
de minha rotina

feliz de minha alma
que recorda do que ri
não importa com quem
nem o porque do que fiz

recorda o espírito do que sente
sou eternamente aprendiz
repreendo nos outros
e repreendo em mim
absolutamente tudo,
tudo que do coração não se diz.

quarta-feira, março 30, 2011

DivinaMente

Santo seja o silêncio
Este que passa por nós!
Pois nele reside a contemplação
do horizonte.
Faz de nós uno ao todo
e nos contempla ele:
com a graça de quem nos vê
como apenas um só ente.

terça-feira, março 29, 2011

Silos

os silos d'agua me seduzem
no momento que espantam de mim
o tempo
que insurge inevitavelmente
como flores
do meu jardim.

domingo, março 20, 2011

Não Há Titulo que Explique o Amor!

carolina, ana, carol, ana, ana carolina, 
do'nana que ama, mas não sabe à quem!
quem dera soubesse ana que não ama ninguem!
diria então assim:
que ama! mas infelizmente,
desfaz todo amor que vem!

terça-feira, março 08, 2011

Memória

Do tecido macio, marrom e esquecido
Emana o doce cheiro das rosas
Que parecem  brotar do brilho infinito
que tem na cor de seus Olhos

Doce também o som de seu nome
lembra-me de palavras bonitas lúdicas e inspiradoras,
no auge de nossa infância,
carregado de um brilho mágico, cores vivas,
do cheiro da leve umidade noturna interiorana,
se ouvia "carrossel"
E outro elemento tão poético por sua natureza solitária
e encantador por ser a séculos o portador da luz
guiando navios que voltam de seus longos retiros,
atravessando por águas horas bravas, horas mansas,
há findar suas solidões aportando
seus sólidos corpos em portos de coração,
o farol

Discreta sua chegada
Mas, Interminável sua partida
me restou apenas o casaco,
e seu cheiro puro e cristalino

domingo, fevereiro 27, 2011

quinta-feira, fevereiro 17, 2011

Maass²

E se a tarde durasse um pouco mais
Se estendesse Maass, um pouco por noite a dentro

Se parasse o tempo naquele momento
De ócio pleno em que leve estica seus braços

Se gostasse tanto Maass dos meus afagos
E de um suspiro a outro sentisse meus dedos em seus cachos

Maass vive na vida leve e despreocupada
De quem corre contra o tempo sabendo que ele acaba

sábado, fevereiro 12, 2011

Onde Não Existe Mais Penumbras














Eternamente à noite vivia ele
Mas uma noite sem luas e sem estrelas

Pairava ele como um mago
driblava suavemente todos os obstáculos

Com que maestria era capaz de sustentar-se
Cruzando caminhos e desafios que muitos não passaram

Como era belo e suave seu toque
E delicado os sons de seus passos

Apenas um cego que anda a ermo
Sabendo bem da marcha que faz ao acaso

segunda-feira, fevereiro 07, 2011

As Coisas Da Vida:

Diana de Holanda, uma amiga a quem pouco vejo mas por quem muito carinho tenho, me pediu que listasse a ela dez coisas da vida, mas que teriam de ser dez coisas, sob o tema "as coisas da vida". faz parte de seu projeto pessoal que espero ser mais um grande acerto de suas brilhantes manifestações.
Segue então abaixo a minha lista:


1  - um domingo de sol com bons amigos

2  - uma mocinha linda que te mira com amor nos olhos

3  - aquele segundo tenso entre a espectativa da espera de uma

      notícia importante e seu resultado.

4  - o dia em que um sonho acabou

5  - um dia em que retorna aos olhos o brilho de um novo sonho

6  - as vitórias conquistadas

7  - as derrotas compreendidas

8  - o olhar-se no espelho e ter consciência plena de sí

9  - amar uma pessoa e saber que a ama.


10 - sentir-se bem e nada mais.




Limiar, Linho e Ar

Corro a beira do mundo
Sinto o vento do limite
da pirambeira diante do infinito

sinto assim a vida a flor da pele
aflora a vida de cada instante
a cada instante

Sinto o mundo...
Com todo seu turbilhão de mares confusos
pessoas confusas
destinos infinitos e desconhecidos.

Sinto a agonia da vida
Mas não é só isso que sinto
sinto também a vida viva, agua viva
A vida de alegria, de Paz e Boa Companhia.

sexta-feira, janeiro 28, 2011

Misoginia

Não quero nada com você,
por mais que me atraia
Saia daqui pois mesmo que luminoso o seu sorriso,
ele me espanta
Não quero sua companhia,
seus gestos lentos, precisos e sua áurea suave me atormentam

Você é detestável
Te odeio

Nada em você me atrai,
mesmo que inibido pelo horror que sinto por sua face,
por seu sexo
Sinto repulsa por seu cheiro
Me dá náuseas sua imagem

Te quero longe
Que grande seja a distância

Sua voz por mais que seja suave e doce me irrita
Seu amor por mais que seja pleno e caridoso me assusta.

quinta-feira, janeiro 13, 2011

Maass

No mas
tudo na Maass
é perfeita
paz!

À Mar...

Um pedaço de mar
Uma enseada cortada
Uma Marina

Quase tão amorosa
Quanto minhas lembranças de infância
Da Marina da Glória

terça-feira, janeiro 11, 2011

Partir


(latim partio, -ire, dividir em partes, distribuir, repartir)

v. tr.
1. Dividir em partes, separar.
2. Quebrar.
3. Repartir; distribuir.
4. Ter origem ou começo; proceder; provir.
5. Confinar.
6. Seguir, prosseguir; prolongar-se, estender-se.
v. intr.
7. Pôr-se a caminho, seguir viagem.
8. Ir-se embora. = retirar-se
9. Sair com ímpeto. = arremessar-se
v. pron.
10. Quebrar-se.
11. Dividir-se.
12. Retirar-se, sair.
13. Fugir, afastar-se.
14. Fig. Afligir-se, doer-se.
a partir dea datar de.
partir deadmitir (princípio ou doutrina) como base dos seus argumentos.

terça-feira, janeiro 04, 2011

Fazendo-amar (À Marina)

Inalo o Mar
a beira da Marina
mas não tenho ar
nem a tenho em minha vida

Vasto o mundo a outra margem
incontestável sua beleza
curto o espaço que ocupo
em quem separa o mundo a sua beira

Porto seguro para pequenos barcos
onde balançam solitários
a sombra do que sobra das ondas
que ao quebra-mar passam lesas
triste pois,
estão sempre a espera que os levem a passeio

Mas não desisto nunca
sei que um dia terei meu barco lá
a aportar
mesmo que por um curto período
pois sei que...
É navegar que amo mesmo

Por enquanto me contento em ficar aqui
a beira da Marina
sentindo-a
sentindo seu cheiro
Pois sei que não a amo, mas a desejo.

E a desejo tão intensamente
que se fosse ela uma mulher
mesmo que virgem
lhe roubaria um beijo.

Quem sabe assim, talvez
o quebra-mar se desfizesse

Deixando a onda entrar
desmanchando a Marina
fazendo-a Mar
e me fazendo ama-la
como amo navegar a ermo.

domingo, janeiro 02, 2011

Como Envelhecem as Flores

De repente brota uma flor de ti
e tu viras a flor
que despedaça, enegrece

putrefacta se desfaz

Mas se talvez fosse você rosa que brota
floresce, envelhece mas
não apodrece

seca

Manteria-se assim:
beleza cristalizada (transparente e pura)
mesmo que em cores já desbotadas,
quase um marrom avermelhado,
seu envelhecimento

seria tão tenro, terno e atenuado