quarta-feira, abril 13, 2005

Ah... (Suspiro de alivio e prazer na freqüência de água lentamente derramada)

A verdade é que estou sempre pensando, e no justo momento, após muito procurar, parei de pensar... Parei de pensar e enfim senti o assustador e infinito vazio dentro de mim. Ao me deparar com tamanha descoberta, como num ato-reflexo de um rato assustado, pensei! ... Pensei na imensidão que é parar de pensar.
Postar um comentário