terça-feira, julho 06, 2010

A Lágrima

Tinha acabado
A dor d'antes submersa, agora floresce
como a umidade que tanto me faz falta
Emerge das entranhas do solo vermelho e seco
pelo caule vivo da flor lilás

A lágrima.

tão rara em meu rosto,
tão desesperadamente impensada
me mostra que não sou dono de meus sentimentos

me despedaço.

escorre a lágrima pelo rosto.

Trêmulas e imprecisas minhas mãos se agarram ao telefone
Chacoalha como as águas torrentes em um desfiladeiro
grunhe como desespero solitário da garganta de um abismo
minha vóz.

Choro.

Choro por saber que magoei quem amava
e agora me perco em meus sentimentos por não ver uma saída
ferida fria, aberta e maligna.

Faço o que há de fazer,
espero, que feche
espero fechar.
a ferida que abri em você.
Postar um comentário