sexta-feira, maio 27, 2011

Amor.

A muito falo sobre o amor e cansei
agora quero falar sobre fatos
ou sobre atos

Apenas retratos
que marco
sem telha nem beira
o quanto queira
o acaso

agora me valho do velho
me vem ao caso
e como temo
me pergunto o que tenho
se em agouro me reparo

Douro o ouro
afim de que juventude não me falte
não há pobreza maior do que a falta de liberdade
não há velhice maior do que a falta de preparo

Vida velhice, idade avançada.
não há o que falte não há
fartura representada por saber
e ver a realidade.
Postar um comentário