segunda-feira, fevereiro 07, 2011

Limiar, Linho e Ar

Corro a beira do mundo
Sinto o vento do limite
da pirambeira diante do infinito

sinto assim a vida a flor da pele
aflora a vida de cada instante
a cada instante

Sinto o mundo...
Com todo seu turbilhão de mares confusos
pessoas confusas
destinos infinitos e desconhecidos.

Sinto a agonia da vida
Mas não é só isso que sinto
sinto também a vida viva, agua viva
A vida de alegria, de Paz e Boa Companhia.

Postar um comentário