domingo, fevereiro 04, 2007

Retorno à Solidão ( solidão, como entidade física e feminina)

Ao mar amado
A mando Amanda
E que esse barco
Só por ti Velejado
Não volte!

Rumemos por marés opostas
E que assim continuemos
Rumando em frente
De costas

Quem sabes, assim
Não conhecerás
Mais do mundo do que eu?

Um dia podes até reconhecer
Que das mentiras me contou
Em nenhuma acreditei
E sabendo do esperto que sou
Me calei...

Esperava o momento em que me vieste com a verdade
Ela nunca veio
Mas tu foste, rumo ao mar
E assim espero que continue indo
Pois, não quero vê-la voltar.
Postar um comentário